Em entrevista Fernando Pavão rebate críticas à novela Máscaras

Fernando Pavão (41), protagonista da novela Máscaras, da Record, na pele do personagem Otávio Benaro, defende com unhas e dentes o seu e o trabalho de todo o elenco da trama, que vem sendo alvo de críticas pesadas por conta de seu baixo desempenho nas pesquisas de audiência da televisão brasileira. 

No começo desta semana, um grupo de atores da novela se reuniu, assinou e divulgou uma carta de amor para toda a imprensa. No documento, eles pedem mais responsabilidade dos críticos. “Hoje em dia existe uma febre de criticar e qualquer um pode ser o crítico, que se acha no direito de falar de maneira ofensiva”, desabafou o ator em entrevista exclusiva a CARAS Online“Não estou pedindo que gostem da novela, só que tenham respeito e mais discernimento na hora de fazer uma crítica”, completou.

Confira a entrevista na íntegra: 

Na carta de amor dos atores de Máscaras, o elenco diz que a trama inova e transgride. Você acha que os críticos e os telespectadores não estão preparados para isso?

– Eu não acho que o telespectador não está pronto, embora seja difícil a entrada da modernidade em uma novela, que costuma a trabalhar com esteriótipos. Máscaras não traz os mocinhos como mocinhos e os vilões como vilões. Mas, o enfoque dessa carta foi outro, foi o de defender nosso trabalho que está sendo atacado por críticas por conta dos baixos números de Ibope. A audiência trata de números e não revela a real qualidade de um trabalho. Hoje em dia existe uma febre de criticar e qualquer um pode ser o crítico, que se acha no direito de falar de maneira ofensiva. E não é por aí. Se uma emissora para de produzir, não é só os atores que vão ficar sem emprego. Tem muita gente envolvida nisso. Nas redes sociais vemos muitos comentários maldosos também. Não estou pedindo que gostem da novela, só que tenham respeito e mais discernimento na hora de fazer uma crítica. 

Existe algo que se possa atribuir, então, os baixos índices de audiência da novela?

– O horário [23h15] é uma coisa que eu acho que atrapalha, só que esse índice é muito relativo. O Ibope é medido por São Paulo, que não é o lugar onde está a melhor audiência da Record. No Rio de Janeiro a gente bate 15 pontos; no Nordeste damos de 18 a 20 pontos. Só que nenhum crítico se atenta a isso. Quando é para elogiar, não vem o elogio. Ninguém está falando da mudança estética da novela, que é muito importante. Só querem saber de falar mal do folhetim e da emissora. 

Em uma entrevista, o autor de ‘Máscaras’, Lauro César Muniz, disse que essa novela iria para o hall de ‘equívocos’ de sua carreira. Essa declaração não desmotiva o elenco?

– Quem não conhece o Lauro, deve ter interpretado essa informação de forma negativa mesmo. O Lauro é um autor extremamente apaixonado, totalmente passional pelo o que ele faz. Se ele falou isso, foi com profunda tristeza com relação a uma série de coisas. Quando eu li a entrevista, não achei que foi desestimulante. Pelo contrário, enxerguei uma pessoa tentando recuperar suas forças diante de tanta dificuldade. Isso me incentivou. Temos que levantar essa novela, mexer, fazer acontecer. O Lauro defende a obra dele de corpo e alma até o final. Ele não vai abrir mão de Máscaras e nós, atores, estamos juntos com ele. 

Na sua opinião, a mudança de diretor contribuiu para a trama? [Ignácio Coqueiro foi substituido por Edgard Miranda]

– Foi uma decisão que partiu da própria emissora, que, de alguma maneira, percebeu algo errado acontecendo. Acredito que houve uma melhora porque é alguém novo que chega cheio de gás, com vontade de fazer acontecer. É um grande direitor e uma grande pessoa. Tudo que está acontecendo é na tentativa de melhorar. E tem funcionado. Vejo uma novela muito boa no ar e a repercussão das pessoas nas ruas é de quem está gostando do que vê. Estamos em um momento de Máscaras que a trama começa a ficar mais clara; acredito que isso vai facilitar a compreensão do público. 

Você acha que sua atuação em Máscaras será uma contribuição satisfatória para a sua carreira de ator?

– Não tenho dúvidas disso. Tenho muito carinho pelo Otávio. Eu sempre quis fazer um herói em uma novela e esse personagem é isso e muito mais. Ele é rico, cheio de nuances. Tem sido uma experiência muito boa. Os personagens do Lauro são assim. Eles fraquejam, são vuneráveis, têm vida.

Você está na Record desde Caminhos do Coração (2007). Como tem sido a relação de trabalho com a emissora? Está satisfeito na casa?

– Super satisfeito. A Record é uma emissora que me deu condições boas de trabalho, grandes oportunidades em novelas e personagens muito bons. Tenho prazer de trabalhar lá todos os dias. É um ambiente de trabalho saudável. Não que as outras emissoras não sejam assim, mas eu gosto de falar do meu universo. 

Quais são os seus planos para depois do final da novela? Algum novo projeto? 

Depois de Máscaras eu vou descansar, pelo menos, um mês. Tenho ficado longe da minha família por conta das gravações da novela e quero ficar um tempo matando a saudade deles. Depois disso, vou pensar em trabalho. Devo fazer alguma peça, porque estou morrendo de saudades do teatro

 

@Dyan_Souza

Noemí é impedida de assistir à final do ‘Gran Hermano’

Após o episódio da semana passada em que Noemí Merino (26) foi retirada pela mãe do palco do Gran Hermano (a versão espanhola do Big Brother), a ex-participante do reality show teria sido impedida de participar da final da atração, que acontece na noite desta segunda-feira, 28.

 “Minha irmã pediu à produção do programa para assistir à festa como torcedora de Pepe [um dos finalistas]. Mas disseram que ela não poderia ir”, contou Eli Merino, irmã de Noemí, em um vídeo postado na internet.

Segundo Eli, mesmo tendo com o pedido recusado, a irmã pretende ir até a porta da emissora que transmite o reality show para acompanhar a final do programa.

Noemí também participou da última edição brasileira do Big Brother. Aqui, ela viveu um affaire com o veterinário Fael Cordeiro (25), vencedor do reality. A moça foi muito criticada porque já tinha um namorado na versão espanhola do programa.

Caras