FOTO: Professora Helena e Renê dão o primeiro beijo, em Carrossel

Imagem

Professora Helena (Rosanne Mulholland) e Renê (Gustavo Wabner) se beijam pela primeira vez (Divulgação/SBT)

Finalmente a professora Helena (Rosanne Mulholland) vai se render aos encantos de Renê (Gustavo Wabner) e eles trocam o primeiro beijo. A cena, aliás, vai ser digna de grandes romances, debaixo de chuva.
Tudo começa quando o professor de música convida a colega para um jantar. No restaurante, ele se declara, mas fica chateado com a recusa de Helena, que diz não saber se está preparada para um relacionamento. Ele diz que ela poderia ter sido clara desde o começo que não queria nada com ele.
Triste, Renê deixa o restaurante debaixo de chuva e Helena vai atrás. A professora afirma que não quis dizer que não quer nada com ele, mas, sim, que tem medo. Renê diz que tem convicção de seu amor e que ela tem medo de assumir até aquilo que sente.
Os dois permanecem debaixo do guarda-chuva da professora. Finalmente, Renê a beija. Helena se entrega e solta o guarda-chuva. Os dois se beijam debaixo da chuva como se nada mais existisse. A cena será exibida no capítulo de sexta-feira, 22, em Carrossel.

Resumo da novela Carrossel – Capítulo(de hoje) 165 – 04/01 – Sexta

Sexta-Feira(04)/2013

Na sala de aula, Valéria chama Davi de traidor. Helena pede para os alunos se acalmarem, caso contrário os mandará para a diretoria. Olívia ouve a gritaria e vai até a sala de Helena, que desconversa. Olívia fala do festival gastronômico aos alunos para a arrecadação de dinheiro para a reforma da escola. Renê revela a Firmino que está confuso por conta de Helena e não sabe mais o que fazer. O melhor prato do festival ganhará um prêmio. Renê entra na sala de música e fica surpreso ao ver Suzana tocando piano. Olívia diz que o concurso é um incentivo para os pais ajudarem nos reparos da Escola Mundial. Helena afirma a Olívia que o concurso arrecadará dinheiro suficiente para consertar as infiltrações. Graça afirma que Renê não está namorando a víbora da Suzana. Graça comenta com Helena que Suzana inventou tudo para afastá-la do professor. Graça aconselha Helena a esclarecer todo o mal entendido. Helena vai à sala de música e flagra Suzana dando um selinho em Renê, que tenta se explicar. Helena sai da sala em prantos. Na casa mal assombrada, Laura diz a Davi que tem uma ideia para ele reconquistar Valéria. Ela promete ajudá-lo por ser uma garota sentimental. Laura diz que Davi terá que fazer uma encenação. Ela pede para Davi se deitar, arregalar os olhos e respirar ofegante. A menina afirma que Davi terá que fazer a encenação em sua própria casa, e então ela vai pedir para alguém avisar Valéria que o garoto está prestes a morrer. Davi afirma a Laura que sua mãe não vai deixar que ele finja estar morrendo.

“Carrossel”, crianças fazem manifestação e exigem que Helena volte a dar aulas para o 3° ano

As crianças fazem uma manifestação na escola e exigem a permanência de Helena (Rosanne Mulholland) como professora do terceiro ano no próximo semestre. A diretora Olívia (Noemi Gerbelli) fica irritada com a confusão, diz que a decisão já está tomada e que se eles não estiverem contentes devem pedir para que os pais os troquem de escola. Suzana (Lívia Andrade) ouve tudo, fica nervosa e vai falar com a diretora. Enquanto isso, Valéria, Adriano e Davi vão até a sala de aula, escrevem na lousa que amam Helena e colocam uma barata no armário de Suzana. Suzana acusa Helena de manipular as crianças para fazer o protesto. Suzana fica em pânico quando vê a barata. As professoras conversam, Suzana diz que vai falar para Olívia devolver o terceiro ano para Helena, mas que existe uma condição: deixar o Renê para ela. Chocada com o que acaba de ouvir, Helena não tem tempo de responder, pois a diretora entra na sala e Suzana conta a novidade. No ar em 6/12/12

UOL

Veja a abertura de Carrossel Mexicano Em Português

Há 20 anos, uma novelinha mexicana chegava ao Brasil pelo SBT para ganhar o coração das crianças. Com a doce professora Helena e crianças com personalidades distintas, “Carrossel” foi grande sucesso para aqueles que viveram a infância dos anos 80.

Embarque nesse Carrossel-Abertura, Música interpretada pelo grupo Super Feliz

Embarque nesse Carrossel – Relembre a repercussão da novela Mexicana no Brasil

 
O remake que o SBT está fazendo de “Carrossel” só começa na próxima segunda-feira (21), mas de antemão vamos relembrar um pouco como foi a primeira versão da novela e o que sua exibição causou aqui no Brasil.
 
Para quem não sabe, em janeiro de 1991, “Carrossel” poderia ter sido comprada pela Rede Globo. A novela que sugou a audiência de “O Dono do Mundo” (novela das oito da época) e “Jornal Nacional” (o índice alcançado pela mexicana chegava a 30 pontos contra 39 do telejornal) foi oferecida à emissora carioca, mas passou despercebida devido ao fato de ser direcionada a crianças. Logo depois, o SBT arrematou a novela por US$ 300 mil.
 
“Carrossel” estreou no dia 20 de maio de 1991 (o remake do SBT estreia quase exatos 21 anos depois), e abriu discussões: sociólogos e psicólogos tentavam explicar o sucesso da novela, que a cada semana que passava tirava o sono da Globo, que via sua audiência no horário nobre ameaçada por uma produção mexicana.
 
A explicação era muito óbvia: “Carrossel” apresentava diálogos objetivos, o caráter do personagem era visível desde a primeira vez em que entrava em cena, além de ter sido uma trama ágil, com nada que se arrastasse durante meses. 
 
Era uma sequência de problemas da vida – que todos têm -, que era solucionado em questão de poucos capítulos. Um círculo vicioso para quem assistia. Problemas de crianças na escola, como aquele que não fez o dever de casa ou aquele que sofre no recreio, atormentado por um “grandão”, eram retratados com certa peculiaridade.
 
Para terem uma ideia, o SBT preparou vídeos de alguns famosos falando bem da novelinha. O Ministro da Educação da época, Carlos Chiarelli, chocou a muitos, quando declarou no ar que assistia “Carrossel”. No vídeo, Chiarelli dizia que a novela revivia um pouco o tempo que todos tivemos na escola e que ali estava o gordo, magro, rico e o pobre. “E que nós, que vivemos em um mundo de tanta violência, de tantas fantasias e ilusões, possamos parar e nos debruçar um pouco num mundo tão grande e tão pequeno das salas de aula”, dizia. O texto terminava com o Ministro dizendo que a novela fazia um bem muito grande. Além dele, figuras como Paulo Maluf e Lula também prestaram depoimentos à novela.
 
https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120515103233.jpg
 
Gabriela Rivera, a professorinha Helena da primeira versão, virou uma mega celebridade no Brasil. Fato que lhe rendeu um contrato de exclusividade milionário com a marca Pullman e um encontro com o então Presidente da República, Fernando Collor de Mello, na rampa do Palácio do Planalto, onde foi cercada por quase 3 mil crianças, em um encontro memorável.
 
Com um investimento irrisório, o SBT, com essa aquisição, marcou toda uma geração. “Carrossel”, na verdade, foi um divisor de águas e virou referência no gênero. A novela teve duração de 11 meses, 375 capítulos e terminou no dia 20 de abril de 1992. 
 
Agora, é muito provável que o remake do SBT não dure todo esse tempo e não consiga todo esse barulho e repercussão que a versão original causou. Os tempos são outros, e as crianças também. De qualquer forma, acredito que valha a pena conferir como ficou a atriz Rosanne Mulholland com seu rostinho meigo e angelical no papel de Helena, bem como seu algoz, a professora Suzana, interpretado por Lívia Andrade.
 
“Carrossel” estreia na próxima segunda-feira (21), às 20h30.
 
por Thiago Forato/ NT

“Viver a Vida” não decola com reencontro de Helena e Luciana e trama perde para “Caras & Bocas”

O ano novo chegou à novela “Viver a Vida”, de Manoel Carlos, e o capítulo de ontem foi marcado pelas fortes emoções do reencontro de Helena (Taís Araújo) e Luciana (Alinne Moraes).

A conversa das duas após o acidente que deixou Luciana tetraplégica era um dos momentos mais esperados da trama. Apesar de a cena ter sido bastante emotiva, o folhetim não reagiu na audiência.

No reencontro, Luciana disse que ficou com muita raiva de sua madrasta após o acidente e que por muitas vezes desejou sua morte. “Cheguei a me imaginar pulando no seu pescoço, te agredindo, fazendo você sangrar, quis que você morresse. Depois vi que nada disso me devolveria os movimentos. Desisti de te odiar”, disse a personagem.

De acordo com dados consolidados do Ibope, no horário em que foi ao ar, das 20h55 às 21h56, “Viver a Vida” marcou média de 35 pontos com pico de 40. A novela de Manoel Carlos ainda perdeu para “Caras & Bocas”, que rendeu na noite de ontem média de 37.

A trama de Walcyr Carrasco, que encerra sua jornada na próxima sexta (08), segue quebrando recordes na faixa das 19h. Nesse mesmo período em que “Caras & Bocas” foi ao ar, a Record ocupou a vice-liderança isolada com 6,5, seguida pelo SBT e pela Bandeirantes, que empataram com 4 pontos cada.

Entre os destaques dos últimos capítulos de “Caras & Bocas” estão a recuperação do filho de Dafne (Flávia Alessandra), o fim dos mistérios dos quadros valiosos de Jacques (Ary Fontoura) e o arrependimento de Frederico (Fulvio Stefanini).

Melhor audiência de “Viver a Vida” é registrada em Salvador

A TV Bahia, afiliada da TV Globo, tem bons motivos para comemorar. Segundo pesquisa encomendada pela Rede Globo, foi constatado que é em Salvador que “Viver a Vida” obtém seu melhor desempenho.

De acordo com os dados, na capital baiana, a trama tem média geral de 47 pontos, com 73% de participação. Já as sulistas Florianópolis e Porto Alegre aparecem em segundo lugar no ranking, com média de 43 pontos.

Entretanto, o desempenho do folhetim de Manoel Carlos na capital paulista, principal mercado anunciante do país, ainda decepciona. A trama raramente ultrapassa os 40 pontos de média entre os telespectadores paulistanos.

Com informações do jornal Correio da Bahia.

Viver a Vida: Tereza se revolta com Helena e estapeia a modelo

tereza viver a vidaDe acordo com informações do jornal O Dia, os próximos capítulos de Viver a Vida promete fortes emoções. Tudo por que ao descobrir que sua filha ficará tetraplégica, Tereza (Lilia Cabral) discutirá com Helena (Taís Araújo) e acaba dando um tapa no rosto da modelo.

Antes disto, Tereza vai se emocionar com a situação da filha. Ao falar com a Luciana por telefone, promete que tudo ficará bem. Luciana é trazida para o Brasil cedada. Ao acordar no hospital, pergunta: “Eu não vou mais andar? Estou aleijada? É isso? Que foi que eu fiz?”.

O doutor Moretti (Lionel Fischer) explica que Luciana precisa passar por uma cirurgia, procedimento indicado em Amã e confirmado pelos exames refeitos no Brasil.

Depois da operação bem sucedida, conta à mãe as brigas que teve com Helena e que ela a proibiu de ir no mesmo carro para castigá-la, porque disse que ela fez um aborto. Perplexa, Tereza procura a rival.

Helena, pouco retruca, já que se sente culpada. Revoltada, a mãe de Luciana relembra que antes de viajarem pediu que tomasse conta da filha e acaba lhe dando um tapa.

Crítica à novela Viver a Vida

viveravida

Viver a Vida chegou finalmente ao dia mais esperado desde antes da novela começar. O acidente com Luciana (Aline Morais). Acidente que deve deixar a personagem tetraplégica, segundo já informou o próprio autor da novela, Manoel Carlos.

Primeiro falemos do capítulo, mais uma vez fraco. Manoel Carlos, além de insistir nos diálogos ruins, vazios e que não compõem de nenhuma forma a personalidade de cada um dos personagens, mostrou que não soube criar expectativa nos telespectadores. O capítulo não teve aquele ar necessário de suspense até chegar ao clímax, ao contrário, foi mais um capítulo parado, sem grandes acontecimentos, sem nenhum gancho.

O diálogo entre a Helena e a Luciana foi ridículo, parecia briga de criança de 4ª série por uma carteira melhor no colégio, tudo muito mal feito. Helena continua formal demais e Luciana exagera nos movimentos e nas expressões faciais. Os outros núcleos continuam iguais, ou seja, inexistindo.

Falemos então do acidente. Uma cena que utilizou inúmeros profissionais e uma equipe técnica de primeiro escalão, segundo divulgação da Globo. E tudo esteve perfeito (ou quase). A construção da cena gerou a expectativa necessária para deixar todos ansiosos. A forma como Luciana se posicionou diante das câmeras também foi muito boa (apesar do choro exagerado enquanto via a foto). Cenas sem diálogos o Manoel Carlos parece que ainda sabe escrever.

O momento do acidente então foi espetacular. As várias vezes que o ônibus capotou foi incrivelmente real, principalmente ora mostrando o ônibus virando, ora mostrando as modelos “voando” do lado de dentro, tudo muito bem feito e muito bem recortado. Parecia que finalmente Viver a Vida teria uma cena digna de novela das oito.

Mas, a direção tinha que estragar tudo. Ônibus parado, já virado de cabeça pra baixo, a cena enfoca completamente em Luciana, mostrando-a desacordada, deitada dentro do ônibus, com ferimentos pelo rosto e o que acontece? Uma enxurrada de estilhaços é jogada em cima dela, sim JOGADA. Não foi efeito de vidro quebrando e caindo, tamanha a força e com o ônibus parado, não dava pra ir tão forte. Erro primário de direção ou de edição que quase estragou a cena. Mas ainda assim, como um todo, a cena foi boa.

Falemos da audiência. Muita gente especulou que Viver a Vida teria uma virada neste acidente. Que o público queria ver a novela a partir do acidente, que a novela iria bombar no dia do acidente. A Globo fez sua parte, atrasou o capítulo em 10 minutos pra obter resultados. A expectativa, segundo alguns jornalistas, era de 45 pontos para os otimistas e 40 já se pensando em share baixo. O resultado? 36,5 na prévia. Para se ter uma idéia, a mesma “virada” em outra novela aconteceu em A Favorita, na revelação de quem era a vilã, o capítulo deu 46 de média, quase 10 a mais. Isso mostra o fiasco que foi o capítulo de hoje, em se tratando de números.

E a culpa desses números é toda da direção e do autor que jogaram o gancho para o fim do capítulo de quinta-feira, isso significa que o desenrolar da trama vai acontecer numa sexta-feira, de share mais baixo. Tudo errado.

Enfim, chegou o acidente e o capítulo mostrou que a novela é ruim, com ou sem acidente.

‘Viver a Vida’: Ciúmes atrapalha relacionamento de Marcos e Helena

De acordo com informações do jornal O Dia, todo o romantismo que marca a relação de Marcos (José Mayer) e Helena (Taís Araújo) em Viver a Vidaestá com os dias contados. O ciúme sem limites do empresário vai começar a sufocar a modelo e, mais tarde, prejudicar bastante a vida dos dois.

“Marcos prefere que a mulher fique em casa e acha que ela estará feliz abrindo mão de sua realização profissional. Ele não é impositivo em relação a isso. Mas sugere a Helena que ela pare de trabalhar e viva para ele”, define José Mayer.

Muita gente pensa que a diferença de idade entre o casal é o que justifica essa situação de ciúme doentio. Pode influenciar, mas não é o principal, como explica a psicóloga Regina Navarro Lins. “As coisas estão mudando, mas a gente ainda vive em uma sociedade patriarcal que, por muito tempo, considerou a mulher uma posse do homem. A ameaça nem está relacionada à mulher, mas aos outros homens. E essa ameaça pode ser real ou imaginária. Ele se sente em uma competição e tem que vencê-la”.

O primeiro sinal da possessividade de Marcos foi em Paris, em plena lua de mel, quando até o laptop da mulher o incomodou. Na próxima semana, Osmar (Marcelo Valle) conta à modelo que as fotos em Petra, na Jordânia, estão confirmadas. Quando ela fala sobre o trabalho ao marido, Marcos fica indignado de ela ter fechado a proposta sem consultá-lo antes. Helena retruca e avisa que a forma como ele reage ao seu trabalho não a fará parar.

Na história, Marcos ainda acredita que pode se apoiar em sua fortuna para manter a mulher sob seu controle. Mas esse poder vai cair por terra, já que ele terá que se desfazer de grande parte de seu patrimônio por causa das dívidas com a Receita Federal.