Vaza vídeo íntimo dos ginastas Arthur Zanetti e Sérgio Sasaki

Inglaterra –  Os ginastas brasileiros Arthur Zanetti e Sérgio Sasaki se veem envolvidos em polêmica fora da Olimpíada de Londres. Vazou na Internet um vídeo no qual os dois estão em um banheiro e em momentos íntimos.

Foto: Reprodução Vídeo

Ginastas aparecem em momento íntimo | Foto: Reprodução Vídeo

Em determinado momento, Sasaki tira as calças e se masturba para a câmera. Depois foi a vez de Arthur Zanetti fazer a mesma coisa. Sasaki e Zanetti estavam acompanhados de outros ginastas brasileiros. No fim do vídeo, eles aparecerem bebendo cerveja. Não se sabe onde foram feitas as filmagens.

Em Londres, Sérgio Sasaki ficou em décimo na final do individual geral. Zanetti está na decisão da prova das argolas e é esperança de medalha.

+18[clique em ‘continuar lendo’ para ver o vídeo]

Continuar lendo

O ‘vira e mexe’ das programações das emissoras

Trata-se da mudança de horário que algumas emissoras de TV constuma fazer em suas programações, sejam com o objetivo de conquistar índices satisfatórios em audiência, realizar uma cobertura especial, ou até mesmo pela falta de decisão da alta cúpula da emissora, que de uma forma ou de outra indignam e decepcionam o telespectador.

Por que não falarmos da recente alteração que a Rede Record promoveu em sua programação, tudo isso para dar lugar a exibição do Pan de Guadalajara. Evento esse que a emissora apostou todas as fichas em busca de um melhor desempenho no ranking de audiência, e que infelizmente tem feito a emissora perder em vários momentos a vice-liderança para o SBT (embora conquistando a liderança em alguns estados), além de ver atrações que alcançavam uma audiência satisfatória para a emissora descer a ladeira do fracasso.

Um exemplo desse reflexo negativo na mudança de horário se vê no desempenho da novela “Rebelde”, que facilmente se isolava na vice-liderança com uma média de 10 pontos, e atualmente vem conquistando a 4ª colocação, perdendo muita das vezes para a Rede Bandeirantes.

Outra emissora que pagou caro pelas mudanças de horário em sua programação foi o SBT. Quem não se lembra da época que a emissora trocava diversas veses suas atrações de horário, e pior, em alguns casos sem nenhum prévio aviso ao telespectador? Resultado, a emissora de Silvio Santos perdeu boa parte de seu público para a concorrência, e com isso, a vice-liderança que a emissora tanto preservava foi para as mãos da Record, atual vice-lider.

Embora outras emissoras tenham por costume alterar com tanta facilidade suas programações, a TV Globo tem feito de tudo para não cometer tais erros. A emissora carioca que atualmente vem sofrendo problemas com o desempenho de atrações como Malhação, Hipertensão (Que terminou esta semana), Xuxa e vários outros programas, ainda consegue manter o padrão Globo de fixação de horário em alta. As alterações feitas na programação da emissora carioca são tão minúsculas, que em alguns casos tornam -se invisíveis aos olhos do telespectador.

Porque não falar do Jornal Nacional, que após tanto tempo as 20h15 passou a entrar no ar às 20h30.
Como se pode observar, as emissoras de tv precisam tratar com mais respeito e carinho o publico que prestigia suas programações diariamente. Do contrário, o público troca de canal e muda todo o cenário de audiência das emissoras.


Edição: Carlos E. R. Amorim | Supervisão: 
Gabriel N.

Exclusivo Todo Canal.

Quer ter sua matéria postada aqui no Tc,então envie seu texto para o email: gabrielsouverdadeiro@hotmail.com

Pan de Guadalajara: Futebol uruguaio dá lição ao Brasil

Medalhas de bronze não costumam merecer mais do que um registro simples, de uma linha, ao final dos relatos sobre as vitórias e conquistas em eventos como o Pan. É natural que seja assim. No caso do futebol, em que o Brasil deu vexame e foi eliminado na fase classificatória, é provável, e até compreensível, que a medalha de bronze nem tenha merecido uma linha no noticiário.

O bronze obtido pela seleção do Uruguai, porém, é digno de uma nota maior. Por culpa de um vulcão no Chile, a equipe chegou com atraso a Guadalajara, obrigando a organização dos Jogos a adiar a sua primeira partida, contra Trinidad e Tobago.

Por conta disso, a Celeste disputou cinco partidas em oito dias. No momento mais importante, entre o fim do jogo remarcado contra a equipe caribenha, no dia 25, a partir das 10h, e a semifinal contra a Argentina, no dia seguinte, às 20h, houve um intervalo de apenas 32 horas – menos da metade do tempo (72 horas) recomendado pela Fifa.

O clássico entre uruguaios e argentinos foi duro e catimbado como sempre. Houve troca de ofensas na saída para o túnel ao fim do primeiro tempo e muitas faltas. A Argentina venceu por 1 a 0 e foi para a final.

Apenas 48 horas depois de perder para os “hermanos”, o Uruguai conquistou a medalha de bronze, vencendo a Costa Rica por 2 a 1 (na foto, os jogadores comemoram a conquista). Esta poderosa seleção, como todos devem lembrar, havia eliminado o Brasil por 3 a 1 na fase classificatória.

Sou muito fã do futebol uruguaio. A seleção que veio ao Pan não fez uma boa campanha, mas pode dizer que foi prejudicada pelo absurdo calendário dos Jogos. E, além de não dar vexame, como o Brasil, ainda faturou um bronze. Nada mal.

‘Diferente’: Narrador da Record se empolga e grita “flecha” como se fosse gol

UOL

O narrador Rafael Ribeiro é o encarregado pelas transmissões das provas de tiro com arco do Pan na Record News. Apesar do esporte não ter muito apelo no Brasil, ele faz de tudo para dar emoção às disputas.

Na reprise da disputa do bronze feminino entre Cuba e Venezuela, era vibração a cada flecha. Rafael não se conteve. Gritava: “Óóótima flecha!” Nos momentos decisivos, ele admitiu: “Muito boa a disputa da medalha de bronze entre Cuba e Venezuela”.

No sábado, veio a disputa pelo ouro. Rafael então passou a narrar as flechadas de acordo com a pontuação: “Craaava no dez! Óóótimo tiro!”. Quando a mexicana Alejandra Valencia assegurou o primeiro lugar, ele foi à loucura.

“No deeez, cravaaado! Uooouro! Uooouro para Alejandra Valencia! Enlouquece o estádio de tiro com arco!”, bradou Rafael Ribeiro.

Alejandra Valencia, mexicana medalha de ouro no tiro com arco (Daniel Ochoa de Olza/AP)

Record Vem Descobrindo Sua Identidade Com a Transmissão do Pan-Americano

.

A Record tem que usar conveniente o Pan-Americano para realizar uma cobertura a altura na Olimpíada do ano que vem, quando as exigências e a responsabilidade serão ainda maiores. Esse é o grande negócio, a lição número um. As críticas que estão sendo feitas, exageradas ou não e que verdadeiramente foram muitas nos últimos dias, devem ser avaliadas e – se for o caso – bem assimiladas para este momento seguinte.

Os enganos cometidos, no seu caso, devem ser vistos até com alguma naturalidade, por se tratar de uma emissora há alguns anos distante das grandes transmissões esportivas. Mas nada tão sério que não se consiga corrigir ao longo dos próximos dias. Basta querer acertar. Por exemplo: não há, em determinadas ocasiões, a necessidade de se elevar tanto o tom na narração de algumas competições, que ainda não valem lugar no pódio. É preciso controlar a empolgação desnecessária. Só isso já será um excelente começo.

A primeira semana do Pan só agora está se completando. O sucesso da Record também estará na dependência do bom desempenho dos atletas brasileiros, nas mais diversas modalidades. Daqui fica a nossa torcida por todos. É por aí o caminho.

 

Foi bem
Vale um destaque a audiência alcançada pela Record durante a transmissão da final do Vôlei Feminino, Cuba x Brasil, nos Jogos Pan-Americanos.

Na faixa das 23h10 às 2h24, se alcançou a média de 13 pontos, pico de 16 e share de 32%, primeiro lugar no horário. Dados do Ibope na Grande São Paulo.

Flavio Ricco

 

Record completa primeira semana do Pan

Brasileiras comemoram ponto contra Cuba na final do vôlei feminino no Pan (20/10/2011)

Brasileiras comemoram ponto contra Cuba na final do vôlei feminino no Pan (20/10/2011)

A Record tem que usar conveniente o Pan-Americano para realizar uma cobertura a altura na Olimpíada do ano que vem, quando as exigências e a responsabilidade serão ainda maiores. Esse é o grande negócio, a lição número um. As críticas que estão sendo feitas, exageradas ou não e que verdadeiramente foram muitas nos últimos dias, devem ser avaliadas e – se for o caso – bem assimiladas para este momento seguinte.

Os enganos cometidos, no seu caso, devem ser vistos até com alguma naturalidade, por se tratar de uma emissora há alguns anos distante das grandes transmissões esportivas. Mas nada tão sério que não se consiga corrigir ao longo dos próximos dias. Basta querer acertar. Por exemplo: não há, em determinadas ocasiões, a necessidade de se elevar tanto o tom na narração de algumas competições, que ainda não valem lugar no pódio. É preciso controlar a empolgação desnecessária. Só isso já será um excelente começo.

A primeira semana do Pan só agora está se completando. O sucesso da Record também estará na dependência do bom desempenho dos atletas brasileiros, nas mais diversas modalidades. Daqui fica a nossa torcida por todos. É por aí o caminho.

 Flávio Ricco

#NaMinhaOpinião: Não querem ver o PAN, querem ver a GLOBO!

Por Ricardo Jatobá

da Redação

Preciso falar, não aguento mais ouvir “torto e direito” dizendo:

“a Globo não mostra o PAN…”

” fala-se muito pouco sobre o PAN na Globo”

Ora, claro que ela não mostra, ela não pode.

Não entendo o porque de tanta choradeira, se temos no Brasil uma emissora de TV aberta que detém sozinha os direitos dos Jogos Pan-americanos, e faz valer o que pagou por eles, sim , a Record consegue encaixar o PAN em 80% da grade (se não é isso é perto disso, eu que inventei esses dados, rsrsrsr) além de ter a Record News que também não para de exibir as competições de Guadalajara.

Na verdade, mudei de idéia, eu até entendo o porque da choradeira….

É que ver o PAN na Record não tem graça nenhuma,

O Brasil queria mesmo é ver Tadeu Schmidt, Glenda, Tiago Leifert, etc.., no México, mostrado tudo sobre os Jogos.

E pela  noite, ver Willian Bonner na bancada do JN chamando Fátima Bernardes “ao vivo, direto de guadalajara….”

Nossa, seria o fim da reclamação, felicidade geral da nação…

Não, eu não estou exagerando; Nem sou fanático pela Globo.

Mas o Brasil não está acostumado a ‘viver’ sem a Globo. Mesmo podendo acompanhar tudo pela Record, preferem ficar de olho na Globo pra ver o “pouquinho” que eles vão mostrar e pegar cada migalhinha pra depois reclamar…

É…  definitivamente, não querem ver o PAN, os telespectadores querem ver a Globo.

Vídeo: Abertura do PAN de Guadalajara

Redação Todo Canal/Lucas Moraes

Começa hoje o PAN na Record, vamos conferir a história desse evento esportivo

Por Lucas Moraes com informações da Wikipédia

Hoje a noite, mais precisamente às 22h, a Record e a Record News irão transmitir com exclusividade a cerimônia de abertura dos Jogos Pan-Americanos de 2011, em Guadalajara.

Sem dúvida nenhuma, é um dos maiores investimentos neste ano que a Record fez em sua grade. Agora, vamos conhecer um pouco sobre a história do jogos pan-americanos.

Jogos Pan-Americanos

Os Jogos Pan-Americanos é um evento  multiesportivo, que tem como base os Jogos Olímpicos e são organizados pela ODEPA. Funcionam como uma versão das Olimpíadas modernas, nos quais participam os países do continente americano.

Nos Jogos, são disputados esportes incluídos no Programa Olímpico e outros não disputados em Olimpíadas. Acontecem a cada quatro anos e, tradicionalmente, seguem um rodízio entre as três regiões do continente: América do Sul, Central e do Norte. A primeira edição foi realizada em Buenos Aires, capital da Argentina, em 1951. Veja, abaixo uma lista das edições do PAN.

Edições

  • 1951, em Buenos Aires na Argentina – 1ª edição
  • 1955,  na Cidade do México no México – 2ª edição
  • 1959, em Chicago nos Estados Unidos – 3ª edição
  • 1963, em São Paulo no Brasil – 4ª edição
  • 1967, em Winnipeg no Canadá – 5ª edição
  • 1971, em Cáli na Colômbia – 6ª edição
  • 1975, na Cidade do México no México – 7ª edição
  • 1979, em San Juan no Porto Rico – 8ª edição
  • 1983, em Caracas na Venezuela – 9ª edição
  • 1987, em Indianápolis nos Estados Unidos – 10ª edição
  • 1991, em Havana em Cuba – 11ª edição
  • 1995, em Mar del Plata na Argentina – 12ª edição
  • 1999, em Winnipeg no Canadá – 13ª edição
  • 2003, em Santo Domingo na República Dominicana – 14ª edição
  • 2007, no Rio de Janeiro no Brasil – 15° edição
  • 2011, em Guadalajara no México – 16ª edição

Guadalajara

Guadalajara é uma cidade mexicana, capital do estado de Jalisco.  Localiza-se num planalto, se situando a mais de 1 500 metros de altitude. É, muitas vezes, designada como Perla del Occidente (traduzido do castelhano, “Pérola do Ocidente”) devido ao seu clima e atmosfera agradáveis. É um importante centro comercial, industrial e cultural. Foi fundada (na sua atual localização, pois já havia sido fundada em outros dois locais próximos que tiveram de ser abandonados em razão de ataques de povos locais) em 1542, com o mesmo nome da cidade espanhola onde havia nascido Nuño de Guzmán, um dos mais importantes líderes espanhóis da conquista do México. Em 1560, tornou-se sede do bispado e da audiência do Reino da Nova Galiza (uma das subdivisões do Vice-reino da Nova Espanha). Foi capturada em 1810 pelo exército mexicano durante a guerra da independência. A população de Guadajara é de 1 646 183 habitantes, mas a Região Metropolitana de Guadalajara tem 4 100 000, fazendo, dela, a segunda maior do México e uma das maiores do mundo.

México

México, oficialmente Estados Unidos Mexicanos, é uma república constitucional federal localizada na América do Norte. O país é limitado a norte pelos Estados Unidos; ao sul e oeste pelo Oceano Pacífico; a sudeste pela Guatemala, Belize e Mar do Caribe; a leste peloGolfo do México.Com um território que abrange quase 2 milhões de quilômetros quadrados, o México é o quinto maior país dasAméricas por área total e o 14º maior do país independente do mundo. Com uma população estimada em 111 milhões de habitantes, é o11º país mais populoso do mundo e o mais populoso país da hispanofonia. O México é uma federação composta por trinta e um estados e um Distrito Federal, a cidade capital.

O Pan na Record

No Brasil, a Rede Record e Record News farão a transmissão exclusiva para o nosso país. Há dias, a emissora exibi chamadas com artistas e jornalista, com uma contagem regressiva dos dias que faltavam para o Pan de Guadalajara. Para uma transmissão exclusiva, a emissora está preparando uma cobertura completa e montou uma espécie de newsroom aonde jornalistas fazem participações em programas da Record e Record News.

O Pan na Record News

A Record NEWS, juntamente coma Record transmitirá o evento. A Record News, além de transmissões ao vivo, também vai reprisar algumas modalidades. Serão mais de 8 horas de eventos ao vivo, na filha da Record.

O Pan no R7

O portal R7.com também cobrirá o evento, sendo que o mesmo, compõe a Central Record de Comunicação. O portal fará uma grande cobertura do evento. Inclusive, o R7, já foi elogiado pelo jornal americano The New York Times,  pelas coberturas jornalísticas do evento em Copenhague (Dinamarca), onde a cidade do Rio de Janeiro foi a escolhida como sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Segundo o jornal norte-americano foi verificado o conteúdo ao vivo, a rapidez e credibilidade nas divulgação das notícias em textos, fotos e gráficos de tudo o que estava acontecendo no COI (Comitê Olímpico Internacional).

Newsroom da Record em Guadalajara

Foto: Divulgação/Record

Foto: Divulgação/Record

Exclusivo Todo Canal / Lucas Moraes

Record News cobra até R$ 850 mil por Pan

São Paulo – A Record News começou a captar anunciantes para a transmissão do Pan de Guadalajara, que acontece no México entre 14 e 30 de outubro. Um e-mail maketing enviado na terça-feira detalha as opções de patrocínio.

A aparição nos eventos de abertura e encerramento é vendida a R$ 32.700 no valor nacional e R$ 14.350 referente à exibição para a Grande São Paulo. Este pacote dá direito a dois comerciais de 30 segundos cada.

Há uma opção intermediária para compra dos principais eventos da competição. Os 50 comerciais saem por R$ 817.500, pacote nacional, e R$ 358.750 no valor local.

Já o anunciante que quiser emplacar sua marca no plano mais completo vai pagar R$ 850.200 e R$ 373.100 pelos 52 comerciais de 30 segundos.

Os valores não contemplam os comuns descontos dados às agências.

Exame